O que é e como funciona um IDR?

 O interruptor diferencial residual, também conhecido como IDR ou apenas DR, é um dispositivo destinado à proteção de pessoas e animais contra os efeitos dos choques elétricos causados por contato direto ou indireto.

O que é e como funciona um IDR DDR - O que é e como funciona um IDR?

 As correntes de fuga para terra são originadas em instalações mal feitas, subdimensionadas, mal conservadas e antigas. Essas correntes de fuga, além de provocar enormes riscos às pessoas, podem ocasionar aumento do consumo de energia, aquecimentos dos condutores, falhas de isolação e até mesmo incêndios. Os dispositivos com princípio de proteção diferencial são capazes de monitorar e interromper essas correntes e evitar tais situações.

 Estes dispositivos são constituídos por vários elementos: o sensor, o relé de medida e disparo e o dispositivo de seccionamento. No caso do sensor é usual o emprego do transformador toroidal.

 O somatório vetorial das correntes que circulam pelos condutores ativos do transformador toroidal é praticamente igual à zero (Lei de Kirchhoff). Existem correntes de fuga naturais não relevantes.

 No momento de uma falha a terra (corrente de fuga) o somatório será diferente de zero, o que irá induzir no secundário uma corrente residual que provocará, por eletromagnetismo, o disparo do DR (desligamento do circuito).

 De forma resumida: O IDR compara as correntes que entram e saem dele. Se o valor das correntes que saem é igual o valor das correntes que entram, então não há fuga.

 Se o valor das correntes que saem é diferente do valor das correntes que entram, então há fuga. Neste caso o IDR irá atuar e desarmar.

 A norma brasileira ABNT NBR 5410 (instalações elétricas em baixa tensão), prevê a utilização do interruptor diferencial residual de alta sensibilidade (30mA) em circuitos de áreas externas e dependências interiores como banheiros, cozinhas e áreas de serviço (áreas molhadas em uso normal ou sujeitas a lavagens). A sensibilidade do interruptor varia de 30 a 500mA e deve ser dimensionada com cuidado, pois existem perdas para terra inerentes à própria qualidade da instalação.

 Os interruptores diferenciais residuais são reconhecidos mundialmente como um meio eficaz para garantir a proteção das pessoas contra os choques elétricos de baixa tensão, como consequência de um contato direto ou indireto com os condutores.

Contato direto: É causado por uma falha de isolação, com toque acidental da pessoa em parte energizada.

Contato indireto: É causado através do contato da pessoa com a parte metálica (carcaça do aparelho), que estará energizada por falha de isolação.

Tipos de DR

Tipo AC: O tipo AC é capaz de detectar correntes residuais alternadas. É normalmente utilizado em instalações elétricas residenciais, comerciais e prediais, como também em instalações elétricas industriais de características similares.

Tipo A: O tipo A é capaz de detectar corrente residuais alternadas e contínuas pulsantes. É normalmente utilizado em circuitos que contenham equipamentos eletrônicos capazes de alterar a forma de onda senoidal.

 Tipo B: O tipo B é capaz detectar correntes residuais alternadas, contínuas pulsantes e contínuas puras. É normalmente utilizado em circuitos de corrente alternada, geralmente trifásicos, que possuam, em sua forma de onda, partes senoidais, meia-onda ou ainda formas de ondas de corrente contínua.

Onde instalar o IDR?

 O interruptor diferencial residual deve ser instalado em série com os disjuntores. Em caso de utilização de um IDR único, o mesmo deve ser instalado após o disjuntor geral. Em caso de um IDR para cada circuito, além do principal, os mesmos deverão ser instalados após cada disjuntor do circuito.

O que é um disjuntor diferencial residual – DDR?

O disjuntor diferencial residual, também conhecido como DDR, nada mais é que um dispositivo com duas funções incorporadas: O DR (interruptor diferencial), para proteção contra choques causados por contato direto e indireto, e o minidisjuntor, para proteção contra sobrecarga e curto-circuito. É comumente empregado em painéis onde o espaço para instalação dos dois dispositivos separados (IDR e minidisjuntor ) é mais complicada.

Sistema de aterramento

Para o correto funcionamento da proteção diferencial residual, é necessário que o sistema de aterramento (sistema responsável por impedir diferenças de potencial danosas, seja para segurança das pessoas e animais, seja para o bom funcionamento dos equipamentos) e a equipotencialização da instalação estejam bem feitas.

Simbologia do interruptor diferencial residual tetrapolar:

Simbologia interruptor diferencial residual IDR - O que é e como funciona um IDR?

Simbologia do disjuntor diferencial residual tetrapolar:

Simbologia disjuntor diferencial residual DDR - O que é e como funciona um IDR?

Gostou? Compartilhe!
Updated: 30 de julho de 2019 — 21:28

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *