O que é coordenação e seletividade?

 A continuidade de serviço é uma exigência em uma instalação elétrica moderna. A falta de uma correta coordenação e seletividade pode provocar a abertura simultânea de mais de um dispositivo de proteção situado a montante do ponto com defeito.

 Podem ocorrer vários tipos de falhas elétricas em uma instalação. As principais são:

  • Sobrecargas
  • Curtos-circuitos
  • Correntes de energização
  • Falhas a terra
  • Correntes transitórias

 Em cada uma destas situações, deverá existir um dispositivo de proteção que deverá atuar e garantir a segurança tanto das pessoas quanto dos equipamentos da instalação. Se não houver coordenação entre eles, a possibilidade de desligamentos dos circuitos sem defeitos é alta.

Coordenação e Seletividade

A seletividade de um sistema de proteção é importante para fazer com que qualquer ponto da rede seja eliminado pela proteção localizada imediatamente a montante do defeito, e só por ela.

Com isto, a parte do circuito que fica inoperante será a menor possível. A propriedade de escolher entre dois dispositivos de proteção quem vai ser desligado é denominada coordenação, a qual vai garantir a seletividade.

A figura abaixo mostra a diferença entre um sistema sem coordenação seletiva e um sistema com coordenação seletiva.

 A figura à esquerda mostra um sistema sem coordenação seletiva. Neste sistema, pode ocorrer perda de energia desnecessária para cargas não afetadas, uma vez que o dispositivo mais próximo da falha não pode eliminar a falha antes que os dispositivos sejam abertos. O sistema à direita mostra um sistema seletivamente coordenado.

Coordenação e seletividade o que é - O que é coordenação e seletividade?

 Se quando há a falha, apenas um dispositivo de proteção atua, sendo este o mais próximo da falha, dizemos que há coordenação entre os dispositivos de proteção e que houve seletividade entre eles. Se, por outro lado, quem atuar for o dispositivo de retaguarda, aquele à montante do dispositivo mais próximo, dizemos que os dispositivos não são seletivos (embora eles possam estar, de alguma maneira, coordenados).

 Para que o sistema de proteção cumpra a sua função, ele deve possuir algumas características que são fundamentais:

  • Coordenação e seletividade
  • Rapidez
  • Confiabilidade
  • Sensibilidade

Rapidez: As falhas nas instalações devem ser eliminadas o mais rápido possível, de forma que os danos causados sejam mínimos.

Confiabilidade: Um sistema de proteção deve ser seguro e confiável. Em nenhum caso deverá realizar uma falsa operação ou falhar em casos de defeitos ou condições anormais. Todos os componentes de um sistema de proteção devem ser testados periodicamente, para garantir sua atuação durante alguma anomalia.

Sensibilidade: Uma proteção deve possuir suficiente sensibilidade aos defeitos e condições anormais de operação que possam aparecer no sistema. A sensibilidade deve ser tal que a proteção perceba um curto-circuito que ocorra na extremidade do circuito por ele guardado e mesmo que o defeito seja de pequena intensidade.

Gostou? Compartilhe!
Updated: 30 de julho de 2019 — 21:31

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *